sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Discurso de formatura - DIREITO/FASB turma 2007.1



DISCURSO FORMATURA

TURMA NOLAR GLUSCZAK JÚNIOR

15 de março de 2012

1 ADERLAN

 Senhoras e senhores, boa noite!

Gostaria, inicialmente, de agradecer a presença de todos, indistintamente. E de forma muito especial o Ilustríssimo Sr. Diretor da Faculdade São Francisco de Barreiras FASB, o professor Roberto Marden Lucena; a Ilustríssima Srª Coordenadora do Curso de Direito, profª Cristiane Gabriel Pacheco; Ilustríssimo Sr. Professor que recebe o nome da turma, Nolar Glusczak Junior; Ilustríssimo patrono Sr Herbert Barbosa; Ilustríssimo paraninfo Zito Barbosa; Ilustríssimo Sr. Valter Santana, padrinho da turma, a todos que compõem a mesa de honra, convidados, familiares e bacharéis.

Nosso agradecimento especial à Comissão de Formatura pelo seu incansável trabalho, sem o qual não seria possível a cerimônia que ora se realiza.

É uma honra e uma grande responsabilidade a tarefa que foi outorgada a mim e a Gládiston Rocha, em nome de nossos colegas, dirigir-nos aos presentes.  Honra esta que agradecemos a responsabilidade que esperamos suprir de forma prestimosa.

É externado de alegria e muita emoção que nos reunimos nesta noite para festejar a tão sonhada conquista de nossa formatura. Formatura que nos custou noites e noites de sono perdidas em prol de estudos para provas e seminários. Nesse sentido somos privilegiados e vitoriosos, pois conseguimos superar as barreiras que nos foram impostas durante nossa trajetória enquanto acadêmicos de Direito.

2 GLÁDISTON

É, galera! Sabemos que a cerimônia de colação de grau é o segundo evento mais chato já criado pelo homem, só perdendo para o horário político. Para que as próximas horas não sejam tão penosas, sugiro a vocês o seguinte exercício: imaginem que todas estas jovens moças estejam usando uma provocante cinta liga vermelha por baixo de suas becas, assim o tempo passará rápido.

Colegas, o tempo passou e não pensamos que seria tão rápido. No início éramos expectativa, emoção, sonhos, ilusão. Iniciamos nossa jornada e juntos vivenciamos as mais diversas emoções: dor, angústia, medo, limitação, superação, felicidade, reconhecimento. Fizemos amizades que levaremos por toda a vida, mesmo sabendo que nossos caminhos, neste momento, tomarão destinos diferentes. Fica a certeza de que estaremos ligados pela lembrança dos anos compartilhados. Sabemos que a batalha que se iniciará em seguida não será fácil, mas fica o desejo de que não percamos a vontade de ajudar as pessoas, a garra, o brilho do olhar e nem a nossa capacidade de indignar-nos.

3 ADERLAN

Sim, Gládiston! O tempo passou rápido e apenas lembranças ficarão na mente de cada um dos bons momentos vividos neste período de faculdade. É, vejo que lágrimas já começam a correr no rosto de muitos aqui, pois não conseguem conter a grande emoção que sente ao realizar este tão almejado sonho. Pois é, colegas! É dia da nossa conquista, dia de nossa celebração; dia de comemorar em família, entre amigos, amores, colegas. Dia que foi traçado na mente de cada um de nós.

Hoje ainda somos expectativas, sonhos, emoção e mais uma mistura de vários sentimentos, dos quais se destaca a SAUDADE. Agora já não é mais possível olhar para o outro sem sorrir ou sem termos o brilho do olhar marejado pela emoção. Sabíamos que chegaria esse dia, em que o riso e o choro estariam na nossa face ao mesmo tempo e que as palavras seriam silenciadas pela emoção.

4 GLÁDISTON

Verdade Aderlan, não podemos deixar de tomar um pouco mais do tempo de vocês para um agradecimento especial a nossos pais. Muitas foram às vezes em que seus olhos nos buscaram e nós estivemos ausentes. Muitas foram às vezes que quiseram nos abraçar, contar caso, dividir uma dúvida, e não nos encontraram. Muitas vezes buscaram o nosso sorriso e estávamos cheios de pressa, hora marcada para tudo e não nos encontraram disponíveis.

Foram vocês que nos incentivaram a caminhar a cada momento de cansaço, desânimo ou quando o estudo parecia um fardo pesado demais. Doaram-se em silêncio e hoje, ao reconhecermos que grande parte dessa conquista devemos a vocês, é a nossa vez de sermos silenciados... pela emoção.

5 ADERLAN

Gládiston, podemos dizer que hoje, sentados aqui nessa plateia, temos três tipos de pais: aqueles que vibram sem medo de serem ridículos, aqueles que falam pouco, tentam segurar a emoção e disfarçadamente limpam uma ou outra lágrima que insiste em cair de sua face, e ainda temos aqueles mais durões, que tentam convencer a si próprios e aos outros que vão tirar de letra toda a emoção.

 

Não importa qual deles seja o senhor ou a senhora, sabemos que quando os nossos nomes forem anunciados, as palmas mais fortes partirão de suas mãos e as lágrimas mais verdadeiras cairão de suas faces.

 

Agora é chegada a hora de falar sobre vocês queridos colegas.

 

É difícil dizer, mas ficam para trás sentimentos juvenis, a convivência diária com os colegas, a exemplo de Dona Francisca nos divertindo e tornando a aula rápida, pois vivia dizendo “tô cansada! Libera a gente mais cedo, professor!” Sem contar também da peça rara do Rodolfo que com a venda de suas muambas sempre tirava um dinheiro da turma. “Yeye. Galera!”

Ficam para trás os calourosos debates e as fervorosas discussões em aula, e como esquecer Piau dizendo “esta prova está fácil!” E a turma dizia: “Cala a boca Piau!” Ficam para trás os os queridos professores e o sofrimento de Miriam e Monik nas temidas provas de Paulo César.

6. GLADISTON

Realmente Aderlan, ficam para trás os momentos de conversa fiada na cantina, os churrascos e as confraternizações de fim de cada semestre no espaço Elda Fest e como não lembrar Magaiver, brindando com a gente e dizendo “Colega, Você é mil! Não, você é dez mil!!!” E Elda, gente? Esta pessoa iluminada que sempre cativou a todos com seu carisma.

Ficam para trás as viagens a Porto Seguro e que viagens hein Aderlan, Greyce, Mayana, Vivian, Larissa, Francielle, Monic, Leone, Henrique Piau, Bruna, Baliza, Arlan, Itala, Rogny, congressos de pura curtição. Os teatros do professor Paulo César e as revelações artísticas, quase globais como Andréia, Franciele e Rairane com suas danças sempre aplaudidas e elogiadas por todos, praticamente a dança dos famosos; Antônio Marcelo e Fernanda com suas atuações impecáveis surpreendiam a todos. Por fim, como não se lembrar das piriquetes enrustidas vivenciadas por Márcio, Arlan, Rogny, Baliza e Aderlan. No meio desta mulherada sempre tinha a presença de um machão, né, querida: Débora Cristina. E Larissa? Sempre queria fugir dos “micos” e ocupava quase sempre a função de figurante.

7 ADERLAN

Amigo Gládiston, somente uma coisa NÃO ficará para trás:  a amizade que foi construída entre nós nestes longos, ou diríamos curtos, cinco anos, a exemplo da patotinha de Elda, Rairane, Tamires, Antônio Marcelo, Cirley. Como Mayana nos apelida: é, Binhos, fica agora a memória de um tempo bom que foi vivido e que não volta mais. Até a galera do fundão deixará saudades da sua animação revolucionária, né, Gládiston, Karol, Bruna, Vivian, Greyce, Luís Henrique e Digão! Como foi o slogan de nossa aula da saudade: “Valeu, foi bom, adeus”.

8. GLÁDISTON

Aderlan, já dizia José Saramago, “(...) há coisas que nunca se poderão explicar por palavras”.  Isso demonstra o quão é desafiador a nossa missão de neste curto espaço de tempo, expressar nossos sinceros sentimentos em relação aos cinco anos de faculdade, período em que se formaram grupos por afinidade que, no auge do curso mostraram-se grandes parceiros, como Rosi, Renata, Leone, Josy e Isac. Mas vamos lá! Não podemos deixar de lembrar de Ana Carla, Ana Priscila, Ítala, Simone. Cada uma, com seu jeito peculiar deixou boas lembranças.

Gente, quem não se lembra do primeiro dia de aula? Como haveríamos também de esquecer o último dia: uma linda carreata com direito a fogos rumo à faculdade e Ana Paula, vulgo Ana Fuá, para os íntimos Ana Face, que com sua energia e gargalhadas gritava para todos: “Tô com medo de morrer de felicidade.”

9 ADERLAN

E nestas palavras de muita comoção, Gládiston,  podemos terminar o nosso discurso dizendo a vocês, nobres colegas, que o desafio está apenas começando.  Temos ainda pela frente intermináveis estudos a fazer, pois o conhecimento, sobretudo jurídico, não cessa aqui. É preciso esforço e dedicação se quisermos alcançar os nossos objetivos.

A responsabilidade é enorme e o fardo é pesado; a batalha é incessante, e duradoura, e a nossa função primeira é promover a guarda da Constituição, dos valores e princípios constitucionais e democráticos, para assim zelar pelos interesses de nossos futuros clientes.

Aos mestres, muito obrigado pelos exemplos e pelas lições, estas serão, para sempre, eternas e inabaláveis; aos pais, amigos, queridos e familiares, valeu pelo apoio e pela atenção dados. Sem vocês não teríamos chegado até aqui.

10. GLÁDISTON

Aderlan, muita calma nesta hora. Antes de finalizar nossa participação, neste discurso, gostaria ainda de fazer uma singela homenagem a um cara que com seu conhecimento nos ajudou chegar aqui. Professor Nolar, este momento também é seu, nos sentimos orgulhosos de ter você como nome da turma. Queremos deixar registrado, que ser professor não é ofício para qualquer um. É preciso ser desdobrável e assumir diferentes facetas diante das mais diversas situações. Você, Professor Nolar, teve seu momento pai: nos deu  bronca e nos reclamou. Teve seu momento avô, passou a mão na nossa cabeça. Teve seu momento irmão mais velho: estimulou a zona, mas depois queria terminá-la. Teve momento psicólogo:  ouviu com paciência todos os nossos problemas e ainda nos aconselhou. Teve seu momento palhaço, arrancando risos e gargalhadas da galera. Professor Nolar, você teve até seu momento aluno, afinal, construir conhecimento é via de mão dupla. Professor abre caminhos, oferece possibilidades.

Mais do que tudo, você, professor Nolar, nos  inspirou. E é por essa e por outras motivações que nos tornamos pessoas e nos fazemos cidadãos, dotados de discernimento e capazes de trilharmos nossos próprios rumos. Por fim, você fez por merecer o título de nome da Turma . Ficou chique o negócio hein: Turma Nolar Glusczak Junior, ACHO DIGNO, DIGNISSIMO. Em nome de todos os formandos, nosso muito obrigado. Eu e galera não podemos perder a chance de te zoar também. Turma, o que o professor Nolar é? VIRGEMMMMMMMMM. Agora galera vamos aplaudir, porque o Professor Nolar merece. 

Um comentário: