sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Resenha crítica Luiz Felipe ENFERMAGEM/FASB

BOAVENTURA, Edivaldo. Como ordenar as ideias. 8 ed. São Paulo: Ática, 2006,p 59.



Resenha crítica

A obra “Como ordenar as ideias”, de Edivaldo Boaventura, professor titular da Universidade Federal da Bahia e pesquisador, tem desenvolvido estudos acerca da produção de textos. Nela aponta que para a elaboração de um texto coerente é necessário mais que boas ideias, é preciso saber ordená-las, desenvolvendo sua estrutura. Ressalta, ainda, a importância da formulação e organização dos pensamentos. Aponta que uma boa produção textual deve estar dividida em introdução, desenvolvimento e conclusão.

O autor em questão enfatiza que a introdução está destinada a realização de um convite ao leitor. Nela está inclusa uma previa do assunto que será exposto, o autor traça a comparação de uma introdução com o recebimento de uma visita, visto que a primeira coisa a ser feita e abrir - lhe a porta, assim também é a parte inicial de um texto: apresenta o conteúdo que se vai expor e convida-o a entrar. Ela deve ser bem chamativa, fazendo com que o leitor desperte a curiosidade, e continue a leitura.

Já na segunda parte de um texto, o que se destaca é o desenvolvimento, que deve ser por partes, duas de preferência, pois uma fará oposição à outra, tendo em vista a progressão das ideias, porém o excesso de divisão prejudica a estrutura de um texto coeso e coerente. Nota-se que é preciso elaborar o plano que esquematiza a ideia do produtor. Observa-se que antes da organização, deve-se ficar atento a um detalhe: as subdivisões não podem distrair a atenção do leitor.

Por último, Boaventura realiza comentários em torno do que é uma conclusão, que é o ponto de chegada, assim como a introdução é o ponto de partida. O papel da conclusão é elaborar uma síntese da essência do assunto devendo ser breve, enérgico, exato, impressionante convincente.

Dado exposto, o livro de Edivaldo Boaventura “Como ordenar as ideias” é de grande ajuda não só para estudantes, mas para todos que querem esclarecer algumas duvidas acerca da estruturação dos pensamentos. No entanto, vale destacar uma fragilidade perceptível na obra, que é a repetição de ideias nos capítulos (seguintes), fazendo com que o leitor tenha uma leitura monótona e cansativa. Contudo, não é por isso que se tira o mérito da obra, visto que ela contribuirá significativamente para que alunos e professores, principais receptores da mensagem, possam construir textos de qualidade.

Livro resenhado por Glênio Pereira de Farias, Acadêmico do curso de Enfermagem da Faculdade São Francisco de Barreiras (FASB), que foi apresentado ao professor Aderlam Messias, na disciplina de Português Instrumental.


Nenhum comentário:

Postar um comentário